Categoria: Outros Sertões

Casa de alpendre

Casas de alvenaria, imitando as dos patrões. Uma cisterna caiada guardando águas das últimas chuvas. Ao fundo ou ao lado da nova morada, a velha ainda persiste, casebre de pau-a-pique, feita de madeira da caatinga, com colunas e vigas de carnaubeira, serve de depósito de coisas velhas e das memórias de dias difíceis.

…Ler mais.

Fogo domado

A descoberta do fogo lá no surgimento das primeiras civilizações certamente deveu -se a incêndios provocados por raios que, de origens desconhecidas, causavam espanto e medo, mas não demorou a assumir caráter sagrado e a ser colocado a serviço do homem a tal ponto que maldita era a casa que não tivesse sempre um fogo aceso, o que era vergonha para o seu proprietário.

…Ler mais.

Serpente do altar

Há muitos e muitos anos, quando os primeiros desbravadores chegaram ao Médio São Francisco em busca das riquezas da região onde hoje se localiza o município de Xique-Xique, o Senhor Litecilio, rico proprietário de terras, ocupou uma ilha do rio de onde podia observar todo o ouro da Serra do Suruá, dando o nome de Ilha do Miradouro.

…Ler mais.

Pré-estreia

Chegou o dia da pré-estreia do documentário “O Sertão entre a Flor e os Espinhos”, trabalho de conclusão de curso (TCC) da jornalista Camila Gabrielle. Do primeiro contato até hoje se passaram 12 meses. Neste período, Camila Gabrielle também fez reportagens e fotos relacionadas ao filme. O material foi supervisionado pela equipe de Meus Sertões e publicado em capítulos a partir da segunda metade deste semestre. …Ler mais.

Doce de banana

Do litoral ao sertão, a produção de doce de banana é intensa. Um dos maiores produtores é o distrito de Caatinga do Moura, a 45 km de Jacobina, cidade do centro norte baiano que atraiu bandeirantes paulistas no século XVII por causa de suas minas de ouro. Localizado no alto da Serra do Tombador, o distrito tem como principal atividade econômica a agricultura e a fabricação de doces.

…Ler mais.