Macondo real

Batinga, localizada na cidade de Cedro de São João (SE), era a 13ª estação do trecho Aracaju-Propriá, onde se ligava com a linha que seguia para Recife (PE).

Miguel e a alumã

Prestes a completar 87 anos em julho, Miguel Martins do Reis mantém a rotina de acordar muito cedo e ir a pé para sua plantação a dois quilômetros de casa, em Cedro de São João. Lá, passa o dia “aguando e cuidando das plantas”.

Lampião ostentação

Lampião na passarela Florisvaldo Mattos Os cangaceiros, cuja história de façanhas e crueldades inspirou conceituações diversas – símbolos do mal, como criminosos frios e sanguinários, para as autoridades e classe média, principalmente do litoral; heróis, homens bravos e destemidos a serviço da defesa da honra, para os camponeses, principalmente o sertanejo habitante dos descampados -, […]

Arma secreta

O CARISMA DE LAMPIÃO Florisvaldo Mattos [1] INTRODUÇÃO  O estudo do banditismo social do Nordeste, de uma perspectiva histórica antropológica foi enormemente prejudicado por uma série de juízos preconcebidos que se formaram em torno do tema, inspirados geralmente na ação predatória praticada por bandoleiros, que os tornava antes de tudo uma ameaça para a sociedade.

Nordeste: ausências e permanências

O primeiro contato de Meus Sertões com o professor e fotógrafo Marcelo Eduardo Leite foi durante uma pesquisa para encontrar fotos que pudessem ilustrar um artigo sobre beatismo da professora Enaura Quixabeira, no site. Marcelo foi gentil e cedeu duas de suas muitas fotos sobre Juazeiro do Norte. Não precisou de muito esforço para perceber […]

O enigma da tatuagem

É hora da merenda na escola municipal da comunidade quilombola da Baixa do Quelé, em Jeremoabo, quando João Farias Filho passa com uma garrafa plástica com um líquido escurecido numa das mãos e um saco na outra. No braço, ele traz uma tatuagem enigmática: “SIAMUSA”. João causa um alvoroço entre a criançada que merenda debaixo […]

A morte de Lampião

O jornalista potiguar Múcio Procópio foi definido pelo jornal Tribuna do Norte, de Natal (RN), como um colecionador de mundos. Suas paixões incluem a Guerra de Canudos e o cangaço. O pesquisador considera o sertão uma força bruta que o abraça sempre.