Concurso de fotos Meus Sertões

1º CONCURSO MEUS SERTÕES DE FOTOGRAFIA AMADORA O 1º concurso de fotografia amadora Meus Sertões tem como tema A MULHER SERTANEJA. O objetivo é selecionar 20 fotografias expressivas sobre a mulher do semiárido brasileiro. Estas fotos ficarão expostas na seção Galeria, na primeira página do site www.meussertoes.com.br, durante 45 dias a partir de outubro de […]

Formulários para concurso de fotos

FICHA DE INSCRIÇÃO E AUTORIZAÇÃO DE IMAGEM Para inscrever a foto no 1º Concurso de Fotografia Amadora de Meus Sertões salve os formulários, imprima, preencha-os e envie, junto com a fotografia, para o e-mail contato@meussertoes.com.br

O mundo fantástico de Fernandinho

cineodeon

Hidroaviões aterrissavam no rio São Francisco, a locomotiva e os vagões dos trens de carga e de passageiros eram desengatados para serem transportados por ferry-boat de Sergipe para Alagoas. O cenário fantástico de Propriá, entre 1948 e 1980, tinha tudo a ver com os filmes que os cinemas existentes nesse período passavam em suas telas.

Bar do Getúlio e a venda de cachaça

O Bar do Getúlio, em frente à Igreja Matriz, na cidade de Cedro de São João (SE) sempre bateu recorde de venda de cachaça. Em seus áureos tempos, o mínimo comercializado eram 600 litros por mês ou 7.200 litros por ano.

O milagre de abril

A notícia chega 43 quilômetros antes do destino. Em Japaratuba (SE), terra do artista plástico Arthur Bispo do Rosário, a coordenadora do Memorial Histórico Dr. Otávio Accioli Sobra, Magnólia Góis Menezes, informa que a Lagoa da Salomé, em Cedro de São João, uma das maiores do estado, está praticamente seca.

Os bordados do Cedro

Borda bordadeira, borda…                                                                                                         […]

Zezé e João

João Raimundo de Melo, 76 anos, passou a maior parte da vida negociando porcos e cavalos. Assim, conseguiu comprar 200 tarefas de terra e a casa confortável, em frente à Igreja Matriz, em Cedro de São João, no sertão sergipano.

Flagelo ou trevas

Pouco antes da décima segunda badalada, havia olhares atentos pelas frestas das janelas de madeira nas casas próximas. A rua deserta e iluminação fraca dos postes criavam a atmosfera de tensão. Ou melhor, de medo. Medo de ser surpreendido pela procissão com homens vestidos de capuzes e mortalhas brancas ou enrolados em lençóis, fazendo súplicas. […]

Os lobisomens do Cedro

No tempo em que não havia grades nas portas e janelas das casas de Cedro de São João (SE) e os assuntos principais não eram assaltos e arrastões, os moradores ficavam sentados na calçada até tarde, muitas vezes ouvindo contadoras de histórias, como Noêmia Nunes, já falecida, desfiar relatos sobre homens que viravam lobos. As […]

Do tempo do salamim

Francisco Gomes de Nero, o Chiquinho, entrega a idade quando utiliza o salamim (ou celamim) para se referir a quantidade de farinha que sua fazenda produzia. Essa antiga medida, de origem árabe, foi utilizada em Portugal e no Brasil até a segunda metade do século XIX. No Nordeste, avançou pelas primeiras décadas do século XX, […]