Categoria: Reportagem multimídia

Joanita – As mulheres de Água Preta 4 (Final)

São quase duas horas da tarde de sábado e Joanita Ferreira Brito, 49 anos, senta em uma mesa de um bar do mercado de Encruzilhada e bebe um copo de cerveja. Falta pouco para a sua folga de final de semana começar. Ela ainda vai comprar carne no açougue e voltar para casa onde preparará o almoço e o jantar. Só no domingo, em uma festa de aniversário, com direito a cavalgada e forró, é que terá o dia inteiro livre. …Ler mais.

Boa Nova dá show de cultura com reisados

Do entroncamento de Boa Nova até a sede do município é preciso superar 16 quilômetros de uma estrada sem acostamento, sem sinalização, com risco frequente de um boi ou vaca atravessarem a pista estreita que serpenteia uma serra. Apesar do risco e da concorrência de um show de música sertaneja que ocorria no povoado de Penachinho, dezenas de pessoas preferiram pegar o caminho arriscado para ver a oitava edição do Festival de Reisados de Boa Nova (BA). …Ler mais.

Terno de reis peregrino

A velha caminhonete está parada a 200 metros do leito enlameado do Água Preta. Na verdade, o rio que cortava o município de Encruzilhada está morto. Virou esgoto no centro da cidade. No restante do trajeto, deixou de ser perene. A última chuvarada acumulou meio palmo de água no trecho diante da casa da agente comunitária de saúde Joanita Ferreira Brito, 49 anos. Água que evaporou em quatro dias.

…Ler mais.

As marcas da ferrovia

É muito difícil encontrar um morador de Iaçu que não tenha uma história relacionada com a ferrovia que corta a cidade. André da Caçamba, por exemplo, passou 23 dos seus 60 anos, trabalhando como agente de estação, liberando a saída de trens. Telegrafista, hoje caminhoneiro, mora em uma das casas que eram destinadas aos antigos empregados da Rede Ferroviária. …Ler mais.

Cordas e mosquetões

Itatim passou a ser conhecida como a capital baiana da escalada a partir da realização do 8º Encontro de Escaladores do Nordeste, realizado em outubro de 2009. O primeiro evento foi realizado no Parque Estadual da Pedra da Boca, na cidade de Araruna (PB), em 1999, com o objetivo de aproximar os escaladores nordestinos, permitindo a troca de experiências. O evento itinerante chegou a 16ª edição este ano. …Ler mais.

Arte quilombola

As mãos das irmãs Selma Teixeira de Araújo, 37 anos, e Silvana Teixeira Brandão, 40, se movimentam numa velocidade espantosa. Em alguns momentos, o ritmo do entrançar da palha chega a ser mais rápido que a fala. As artesãs do povoado de Campo Grande, em Santa Teresinha (BA), têm pressa. Elas precisam confeccionar 60 peças –malas, bolsas, bocapius (sacolas), tapetes e esteiras – que serão enviadas para uma feira em Salvador.

…Ler mais.