Autor: Paulo Oliveira

O perfil de Micael

Micael Aquillah, 26 anos, natural de Vitória da Conquista (BA) é aluno do curso de cinema e audiovisual da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (Uesb) e atua como fotógrafo desde 2009. É dele o trabalho que publicamos hoje (26/1/2017) e que ficará exposto na seção Galeria, na primeira página do site. Intitulado Arredores, o ensaio propõe reflexão sobre as transformações culturais das comunidades nordestinas, especificamente nas cidades do baianas.

…Ler mais.

‘Feirará’: entre dois mundos

A melhor definição para Irará, cidade localizada a 135 km de Salvador, está na monografia “Aristeu Nogueira: A militância Política e Cultural de um Comunista”, de Marcos Roberto Martins dos Santos”, finalizada em 2007. Santos mostra que Irará está localizada entre o Recôncavo e o Sertão da Bahia. Segundo ele: “duas regiões marcadas por culturas distintas, representativas de ‘dois nordestes’”.

…Ler mais.

Colchas de retalhos

Debaixo de uma árvore, esperando o sol esfriar, Idelcina Carneiro Oliveira pensava em como mudar a sua vida. Grávida do segundo filho, Jefferson, fazia a limpeza de tanques (barreiros) no sertão. A retirada do barro acumulado no fundo do reservatório seco e o transporte em banguê, dentro do carrinho de mão, era pesado demais, mas era o tipo de trabalho que o governo oferecia durante a seca de 1994, na Bahia. …Ler mais.

A missão de Joabes

Joabes R. Casaldáliga é fotógrafo e comunicador popular. Trabalha há dois anos no Centro de Convivência e Desenvolvimento Agroecológico do Sudoeste da Bahia (Cedasb), organização não governamental que integra a Articulação do Semiárido Brasileiro (ASA). A ONGO fot atua em 22 municípios, desenvolvendo ações para fazer com que as famílias camponesas convivam dignamente no semiárido. Um dos projetos prioritários da Cedasb é a captação de água de chuva por meio da construção de cisternas, barreiros e barragens subterrâneas. …Ler mais.

Tiago Preto

Tiago de Jesus Santos, o Tiago Preto, é uma celebridade em Riachão de Jacuípe, onde também usa o nome de Cassimiro Cassiano Cassiote. O fato de ter sido um dos escolhidos pela artista plástica Virgínia de Medeiros para fazer parte da instalação “Fala dos Confins”, apresentada em São Paulo, em 2010, sobre o modo de se comunicar do sertanejo, aumentou um pouco a sua fama. Assim como o programa de anedotas – estas sim motivo de sua popularidade -, que apresenta na Rádio Jacuípe. …Ler mais.

O santeiro Erivaldo

Quando não está trabalhando no almoxarifado da prefeitura de Santa Brígida, Erivaldo Pereira de Araújo, 43 anos, vive cercado de santos e anjos. Ele é o principal santeiro da cidade, em cujas casas, principalmente a dos mais antigos, estão abarrotadas de imagens do beato Pedro Batista, da madrinha Dodô, de Frei Damião e de Padre Cícero. …Ler mais.

Whatsapp afasta atravessador

Heliana Oliveira é uma das artesãs da Associação dos Empreendedores da Agricultura Familiar e Economia Solidária do Estado da Bahia (Aefaesb). Ela faz parte do grupo “Caravana da Coragem”, que congrega trabalhadores de Senhor do Bonfim, Feira de Santana, Chapada Diamantina e Itabuna. A artesã confecciona roupas com “panos de sacos” de algodão bruto. No passado, este material era utilizado para transportar açúcar.

…Ler mais.

Homenagem a jovens camponeses

Cerca de mil jovens são esperados na 8ª Assembleia Nacional da Pastoral da Juventude Rural (PJR) – Laura e Uedson, entre os dias 18 e 23 de janeiro, em Caruaru (PE). O tema do encontro será “Terra Mãe, Comunidade e Soberania Alimentar” e homenageará Laura Lorenzoni, primeira secretária da PJR,  que morreu afogada no Rio Grande do Sul, em 1989, ao tentar salvar uma jovem que caíra em um rio.  Outro homenageado é  Uedson Valentim de Araújo, coordenador da Pastoral da Juventude Rural, no Acre. Ele foi morto com um tiro na cabeça, na localidade de Ramal da Espinhara, no município de Bujari, este ano. O crime não foi esclarecido.

…Ler mais.

Arte de licuri e aves de madeira

José Valdo Rosa nunca gostou de trabalhar na empreiteira que fazia a manutenção de linhas de transmissão de energia. Apesar de elogiado pelos chefes, pois assumia funções diferentes de acordo com a necessidade,  não suportava duas coisas: acordar cedo durante o inverno, principalmente nos estados do sul do país onde o frio é mais intenso, e viver, constantemente, com as botas molhadas.

…Ler mais.