Viva São Sebastião, o padroeiro contra a peste e a fome!

Viva São Sebastião, o padroeiro contra a peste e a fome!

Uma quantidade imensa de cidades e distritos veneram São Sebastião, cuja data é celebrada hoje, na Bahia: São Sebastião do Passé, Cocos – onde também homenageado ao ter seu nome em um hospital público, uma clínica particular e uma rua – Seabra e Palmeiras (Chapada Diamantina), Belo Campo, Brumado, Algodões (distrito de Quijingue), Caturama, Ibiassucê, Alcobaça, Caravelas, Ilhéus, Itambé, Trancoso e Caraíva (distrito e comunidade de Porto Seguro), Igaporã, Paxo (distrito de Paramirim), Cumuruxatiba, Barreiras, Maraú, Mascote, Barra do Rocha, Pau a Pique (município de Casa Nova), Porto Novo (Santana) e Una.

Não para por aí. Temos ainda Mariquita, comunidade de Tabocas do Brejo Velho; Guirapá, distrito de Pindaí; e o povoado de Cachoeirinha, em Itagimirim, onde a devoção ganhou dimensão a partir de um terreiro de umbanda. O santo é sincretizado com Oxóssi*

Já no Ceará oito das 184 cidades  têm São Sebastião como padroeiro. Itapipoca tem o santo como copadroeiro, mas a festa dele é muito mais concorrida que Nossa Senhora das Mercês. Os outros municípios que o têm como protetor são Choro, Ipu, Monsenhor Tabosa, Mulungu, Nova Olinda, Apuiarés e Pedra Branca.

Para quem não conhece, vamos fazer um resumo da história do santo. São Sebastião se transformou em mártir por não renegar sua fé em Cristo. Nascido em Narbona, na França, no ano de 256, mudou-se para Milão, na Itália, terra da mãe dele, e alistou-se no exército romano. Soldado predileto do imperador Diocleciano, tornou-se comandante da Guarda Pretoriana.

Convertido ao cristianismo secretamente e valendo-se do posto que ocupava, visitava os cristãos que seriam devorados por leões no Coliseu com frequência para consolá-los. Denunciado, foi condenado à morte por não renegar a fé em Deus.

Amarrado a uma árvore e alvejado por flechas, foi resgatado por mulheres que perceberam que ele estava vivo. Recuperado, continuou evangelizando e procurou o imperador, pedindo o fim das perseguições e mortes dos cristãos. Foi novamente condenado. Dessa vez, seria açoitado até morrer e seu corpo foi atirado no esgoto público de Roma para que não fosse venerado pelos cristãos. Seu corpo foi recolhido e sepultado próximo às catacumbas dos apóstolos.

No século IV, o imperador Constantino se converteu ao cristianismo e construiu uma basílica em homenagem a Sebastião, iniciando o culto ao santo. Consta, que Roma estava sendo assolada pela peste nesta época. E que a epidemia passou assim que suas relíquias foram levadas para o templo. São Sebastião passou a ser considerado o protetor da humanidade contra a peste, a fome e a guerra.

Jornalista, editor, professor e consultor, 59 anos. Suas reportagens ganharam prêmios de direitos humanos e de jornalismo investigativo.
follow me

2 reflexões sobre “Viva São Sebastião, o padroeiro contra a peste e a fome!”

  1. Margareth O AzevedoDisse…
    Replied on

    Sensacional!!

  2. Bartolomeu Lopes de AlmeidaDisse…
    Replied on

    São Sebastião um grande Santo,em Laranjeira- Banabuiu-Ceará,o padroeiro é São Sebastião.estive presente neste ano,peguei a covid,fui parar na UTI,fui entubado 3 vezes,fiquei internado 2 meses e 12 dias,estou recuperando bem e fui pagar as promessas ao Santo milagroso São Sebastião. Deus é tudo!

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *