Covid faz prefeitura cancelar Lavagem de Ichu

Covid faz prefeitura cancelar Lavagem de Ichu

A prefeitura de Ichu decidiu cancelar a Lavagem da Igreja do Sagrado Coração de Jesus, que seria realizada na primeira semana de fevereiro, por causa da pandemia de covid-19, causada pela cepa Ômicron. Desde o início da pandemia, em março de 2020, até hoje, a cidade registrou 469 casos da doença e quatro mortes. Nas últimas 24 horas, o número de casos teve acréscimo de 2, 45%, e em cinco dias aumentou 4,24%.

A festa, que costuma ser realizada na sexta-feira anterior do dia do padroeiro do município é uma espécie de pré-carnaval, marcado por concurso de máscaras, de alegorias, de carros alegóricos e desfile de baianas ao som de uma banda de música.

Além disso, segundo um assessor da prefeitura, o prefeito José Gonzaga Carneiro, dono de uma fábrica de laticínios na cidade, decidiu manter os festejos na sexta-feira anterior ao dia santo em 2023. Assim, a prefeitura volta atrás na troca do dia da comemoração, que passaria ser no sábado anterior ao dia do padroeiro para que pudesse atrair mais público, incluindo moradores que trabalham em outras cidades da região.

A mudança estava causando polêmica, pois parte dos participantes alegava que não há infraestrutura para receber uma grande parcela de visitantes. Por exemplo: só 1,2% dos domicílios tem esgotamento sanitário adequado.

Em nota divulgada no Instagram, a prefeitura diz que sabe do desejo da população em celebrar “a melhor sexta do ano”. Em seguida, ressalta que em 2021, o cancelamento foi facilmente entendido e respeitado por causa da pandemia. No entanto, o desejo de o evento ser realizado era grande.

Na nota, a prefeitura diz que o decreto estadual, assinado no dia 10 de janeiro, reduzindo o número máximo de participantes em eventos de 5 mil para 3 mil e o cancelamento da festa do padroeiro de São Gonçalo dos Campos também foram fundamentais para o cancelamento da Lavagem.

Para reduzir o impacto da decisão para os artesãos que estavam confeccionando as máscaras e os carros alegóricos, foi oferecido um depósito para guardar o material dos participantes. Por fim, o comunicado deixa em aberto a possibilidade de ser realizada um novo projeto de pré-carnaval “no futuro”.

Jornalista, editor, professor e consultor, 59 anos. Suas reportagens ganharam prêmios de direitos humanos e de jornalismo investigativo.
follow me

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *