Guerra da água

Nos últimos quatro meses, o editor Paulo Oliveira, do site Meus Sertões, e a professora Lívia e Souza Vieira, da Universidade Federal da Bahia (Ufba), orientaram os estudantes de jornalismo Luísa da Silva Carvalho e Leonardo Lima dos Santos na produção, reportagem e edição do podcast “No cerrado baiano, agronegócio ameaça conservação do bioma e subsistência de comunidades tradicionais”.

 

O trabalho é fruto do prêmio Jovem Jornalista Fernando Pacheco Jordão, realizado pelo Instituto Vladimir Herzog em parceria com a Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo (Abraji), Oboré Projetos Especiais e Sociedade Brasileira de Estudos Interdisciplinares de Comunicação (Intercom). A iniciativa tem o apoio da iniciativa Periferia em Movimento e financiamento do Google.org.

 A premiação consiste na escolha de pautas relevantes sugeridas por professores e universitários, que recebem uma bolsa para realizar o que foi proposto. No caso de Leonardo e Luísa, eles contam a história da resistência dos moradores de Correntina contra o uso excessivo de água pelo agronegócio. Com apoio do governo baiano e órgãos fiscalizadores que concedem licenças para consumo bem acima do razoável, rios e riachos da região secam ou deixam de ser perenes. Pelo menos 17 já desapareceram.

Em um trabalho exaustivo, os estudantes da Ufba fizeram um programa impactante e elucidativo, revelando que a guerra por água e o avanço da grilagem continuam sem que as autoridades tomem providências em favor dos povos tradicionais (geraizeiros, comunidades de fundo de pasto, quilombolas e indígenas) e demais moradores da região.

Ouça o programa:

Hoje, das 19h às 20h30, haverá o encontro de avaliação e diplomação, com a presença das dez equipes. Para ver a relação dos 10 trabalhos premiados clique aqui

BASTIDORES DA REPORTAGEM

Capítulos I e II Capítulo III Capítulo IV Capítulo V Capítulo VI Capítulo VII Puro talento

Jornalista, editor, professor e consultor, 59 anos. Suas reportagens ganharam prêmios de direitos humanos e de jornalismo investigativo.
follow me
Compartilhe esta publicação:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sites parceiros
Destaques