Ano: 2020

O avanço da Covid-19 pelo sertão

Duas mil e onze cidades brasileiras já confirmaram casos de Covid-19 (novo coronavírus). Quase uma a cada quatro dessas cidades estão em municípios do semiárido. Em 428 municípios já há 2.866 casos confirmados e 187 mortos. Estes são os dados do avanço da Covid-19 pelo sertão, segundo o jornalista Marcelo Soares, um dos mais brilhantes jornalistas brasileiros em análise de dados e criador do site Lagom Data.

“A região, que abrange do norte de Minas Gerais ao norte do Ceará, tem alguns dos mais tristes índices de desigualdade.Também é onde há as maiores concentrações de famílias que dependem de programas sociais como o Bolsa-Família. Não raro são cidades com pouca infraestrutura de saúde e muitas distâncias para chegar até onde haja atendimento adequado. Tem aumentado muito a detecção da Covid-19 na região, em parte devido aos esforços feitos em estados do Nordeste para enfrentar a pandemia.” – diz Marcelo.

Para combater a doença onde ela ataca, nos rincões do semiárido, o coordenador do Comitê Científico do Consórcio Nordeste, o neurocientista Miguel Nicolelis anunciou esta semana que o grupo formado por nove governadores nordestinos aprovou a criação da Brigada Emergencial de Saúde.

A brigada consiste na convocação de 15 mil profissionais da saúde, principalmente médicos formados no exterior. Eles integrarão o grupo, sob supervisão, e terão seus diplomas validados por universidades brasileiras. Nicolelis ressaltou que entidades médicas corporativistas tentaram vetar a medida, mas não obtiveram sucesso.

Veja agora os dados compilados pelo Lagom Data , site do jornalista Marcelo Soares, parceiro de Meus Sertões, sobre o avanço da doença no semiárido. Clique no link abaixo para ter acesso ao mapa interativo:

O AVANÇO DO CORONAVÍRUS PELO SERTÃO

Exemplo de superação

A montagem de uma “cama alegórica” foi a primeira das invenções do motorista e técnico de consertos diversos, Antônio Carneiro de Oliveira, o Antônio de Roque, 77 anos, que mitigaram os danos do terrível acidente que ele sofreu, em Ichu, a 180 quilômetros de Salvador. O fato de não ter recuperado o movimento das pernas não impede que ele trabalhe, dirija e se considere vitorioso por ter atingido o atual estágio.

…Ler mais.

Site e aplicativo contra a Covid-19

O Comitê Científico de Combate ao Coronavírus do Consórcio Nordeste lançou hoje o site www.comitecientifico-ne.com.br, que visa agregar dados e sugestões para o combate da pandemia na região. O comitê científico, coordenado pelo neurocientista Miguel Nicolelis e pelo ex-ministro da Saúde Sérgio Rezende, está dividido em nove subcomitês com representantes dos nove estados nordestinos e com a colaboração de cientistas de outras regiões do Brasil e do exterior.

…Ler mais.

Monte Santo cancela romarias e festas juninas por causa do coronavírus

O prefeito de Monte Santo Edivan Fernades de Almeida, o Vando (PSC), decidiu interditar o acesso ao histórico e lendário Santuário de Santa Cruz do Monte Santo, cuja primeira capela foi construída pelo Frei Apolônio de Toddi, em 1785, cancelar os eventos da Semana Santa e os festejos juninos devido à pandemia do coronavírus. As romarias e celebrações da Semana Santa só não foram realizadas durante a Guerra de Canudos (1896 e 1897), segundo o professor doutor Raimundo Venâncio Filho.

…Ler mais.

O impacto da Covid-19 nos ritos da Semana Santa

“Sede em meu favor, Deus Onipotente.
Vinde socorrer-me, sede diligente.”
Trecho do ofício da Paixão

Tradicionalmente lotada no Domingo de Ramos, primeiro dia da Semana Santa, apenas nove pessoas, todas com funções litúrgicas, participaram da missa este ano, na Igreja Matriz do Sagrado Coração de Jesus, em Ichu, cidade sertaneja a 187 quilômetros de Salvador, capital da Bahia.

…Ler mais.

Coronavírus: êxodo às avessas e mortes em casa no interior

O neurocientista Miguel Nicolelis, 59 anos, coordenador da Comissão Científica do Consórcio Nordeste e um dos cientistas mais importantes do mundo, alertou ontem para o risco de ampliação do focos de Covid-19 (coronavírus) a partir êxodo de pessoas das capitais para as cidades do interior, onde o número de casos da doença ainda é relativamente pequeno. O site Meus Sertões tomou conhecimento desta realidade ao localizar uma aposentada e um estudante de Salvador que voltaram para a cidade natal, no território de identidade Portal do Sertão. O motivo da mudança, segundo os migrantes – um deles faz parte do grupo de risco – é evitar contrair o vírus, que pode levar à morte. Eles pediram para não ser identificados.

…Ler mais.