O centro de reabilitação – capítulo V

O centro de reabilitação – capítulo V

O deputado federal pernambucano Luciano Bivar, 75 anos, presidente do Partido Social Liberal (PSL) custou aos brasileiros R$ 91.035, 33, no mês de setembro. Em período de pandemia e trabalho remoto ele consumiu R$ 8.571 de cota parlamentar (36,74% com locação e/ou fretamento de veículos e 43,1% de divulgação de atividade parlamentar), R$ 48.696,44 de verba de gabinete e R$ 33.763 de remuneração (salário).

No ano de 2020, Bivar teve atuação pífia se comparado ao que custou. Ele produziu um despacho de cinco linhas favorável ao requerimento de informações ao ministro da Economia, Paulo Guedes, sobre acordo comercial firmado entre o Brasil, o Mercosul e a Coreia do Sul.

Suas outras participações estão restritas a ser um dos 14 deputados que assinou a emenda de Plenário a Projeto de Urgência, pedindo a suspensão do prazo de parcelamento de dívidas do Programa de Modernização de Gestão e Responsabilidade Fiscal do Futebol durante a pandemia; subscrever o projeto que a alterou a lei 13.144/2015 para permitir a reabertura do prazo de adesão de parcelamento de débitos fiscais dos clubes; e requerer a coautor da iniciativa anterior.

A Câmara Federal tem 513 integrantes. Tendo Bivar como parâmetro, bastaria pouco mais do que três parlamentares iguais a ele para que o dinheiro consumido fosse suficiente para uma unidade de saúde, referência em tratamento para vítimas de acidentes, para portadores de processos degenerativos e sequelas de AVC (acidente vascular cerebral) e bebês com microcefalia, socorrer 1.500 pacientes, realizar 12 mil atendimentos e 20 mil procedimentos.

Estamos falando do Mens Sana, instituição criada em 2011 pelo padre Airton Freire no sertão pernambucano. Toda construção foi feita com doações. O funcionamento começou em 2012 e o centro de recuperação passou a integrar a 3ª Macrorregional de Saúde de Pernambuco, constituída por 35 municípios – os mais distantes Serra Talhada (164 km) e São José Belmonte (204 km).

Em 2016, a instituição foi credenciada pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Mensalmente são destinados R4$ 345 mil para todas as despesas, incluindo pagamento de funcionários, compra de material, fornecimento de próteses, custo com energia e água (aquisição de carro-pipa).

“O Centro de Reabilitação é bem administrado. Ele serve como exemplo de que o povo é bem atendido quando não há desvio de dinheiro público” – diz Wellington Santana de Lima, irmão de padre Airton.

Liege Nogueira, coordenadora do setor de saúde da Fundação Terra e do Mens Sana. Foto: Severino Silva
Liege, coordenadora de saúde. Foto: Severino Silva

A coordenadora de saúde do Mens Sana, Liege Nogueira, nos guia em uma visita às dependências do centro de reabilitação, cujo atendimento também é voltado para deficientes visuais, auditivos, físicos e intelectuais de média complexidade. Ela explica que todo paciente passa por triagem com assistente social, enfermeiro e psicólogos. Os profissionais prestam serviços por 30 horas semanais, com exceção dos fonoaudiólogos e terapeutas que atendem na piscina (40 horas).

Os departamentos estão divididos em dois andares. Nos acompanhe:

PRIMEIRO ANDAR

Reabilitação física e visual – Possui nove médicos: neuropediatra (2), neurologista (2), ortopedista (2), oftalmologista (1), pediatra (1), otorrinolaringologista (1). É responsável por enviar informações para o banco de dados do município no SUS.

Ginásio de fisioterapia: Foto: Severino Silva
Ginásio de fisioterapia: Foto: Severino Silva

Salão de atividade física diária – Atende em média 10 a 12 pacientes em cada um dos dois turnos (7 às 13h e 13h às 19).  É voltado para o desenvolvimento das capacidades biomotoras e para promover melhor capacidade funcional para realizar funções cotidiana.

Sala de psicomotricidade – Possui esteira de marcha suspensa e game terapia (uso de videogames em sessões), o que torna a reabilitação de pacientes mais dinâmica e recreativa. Sete fonoaudiólogos trabalham neste setor.

Sala de enfermagem – Conta com três enfermeiros e dois técnicos de enfermagem.

Mens Sana: piscina para reabilitação. Foto: Severino Silva
Piscina para reabilitação. Foto: Severino Silva

Piscina aquecida – Piscinas com água a 33 graus centígrados e chuveiros aquecidos por placas de energia solar. Atendimentos individual ou em grupos de 5 a 6 pessoas. Tem 11 fisioterapeutas. São 15 atendimentos por turno.

Ginásio de fisioterapia – Possui um responsável técnico por categoria e sala de atendimento individual. Na época da visita de Meus Sertões estava sendo planejada a implantação de acupuntura.

Oficina ortopédica – Foi inaugurada em 2018. Fabrica 150 órteses e próteses mensais, que são entregues aos pacientes gratuitamente.

Centro Odontológico – Construído com verba doada pela Itália. Funciona em parceria com a Universidade de Pernambuco (UPE). Conta com dois consultórios e um escovódromo para orientação da manutenção da higiene bucal dos pacientes

Oficina de culinária – Funciona uma vez por mês para estimulação cognitiva para adultos e idosos que estão em outros serviços. Preparo de refeições como forma para diminuir fatores de risco (AVC).

Atividades criativas – Local onde pacientes e acompanhantes participam de oficinas diversas – Páscoa, São João e Dias das Mães. Também funciona um bazar onde as peças produzidas são vendidas por preços que variam de R$ 2 a R$ 15. O dinheiro arrecadado é usado para realizar festinhas.

 

 

SEGUNDO ANDAR

Consultórios para crianças com microcefalia – Atende até 32 crianças hoje.  Grupo de atendimento formado por médicos de Recife, Garanhuns, Serra Talhada e Arcoverde acompanham os pacientes.

Exames BERA – Feito para checar a integridade das vias auditivas. BERA significa Brainstem Evoked Response Audiometry (em português, audiometria de resposta evocada de tronco encefálico). A duração média do exame é de 30 minutos e deve ser realizado em uma sala acusticamente tratada para que não haja interferências externas. São doados 90 aparelhos auditivos bilaterais para quem tem problema.

Sala de crianças com síndrome congênita – Bolas, brinquedos e metal feito pela escola de solda da Fundação Terra. Custou RS 10 mil reais vindo de emenda parlamentar estadual. São quatro modelos. Nas paredes do andar banners com trabalho premiado sobre a microcefalia associada à zika.

Sala de estimulação visual – Equipamentos diversos

elogio

O atendimento de excelência resulta em elogios da população. Um deles, o do paciente Walmir de Araújo, estava em destaque no site da Fundação Terra:

“Quando fui iniciar meu tratamento no Mens Sana, estava muito debilitado e usava cadeiras de rodas. Tinha dificuldade para falar, ouvir e escrever (…). Meu braço direito não tinha boa movimentação. Iniciei meu tratamento fisioterápico, psicológico, contei também com uma fonoaudióloga e nutricionista, tudo disponibilizado pelo centro de reabilitação. Todos esses profissionais cuidaram de mim com muito amor, carinho, respeito e sem falar no profissionalismo.  (…) Estou 100% reabilitado graças a minha família, meus amigos e, sem dúvida, ao Mens Sana”.

 

Leia a série completa

As tilápias de padre Antônio O ganho dos associados Apostolado diferenciado As associações de mulheres Ivone, a mãezona Preço da ração dispara A fábrica de gelo O beatismo - capítulo de transição Padre Airton e a transformação de Arcoverde Tecnologia impulsiona o novo beatismo O abrigo Domus Christi Beijinha O refúgio e os Servos de Deus

Jornalista, 58 anos, traz no sangue a mistura de carioca com português. Em 1998, após trabalhar em alguns dos principais jornais, assessorias e sites do país, foi para o Ceará e descobriu um novo mundo. Há dez anos trabalha na Bahia, mas suas andanças não param. Formou comunicadores populares nas favelas do Rio e treinou jornalistas em Moçambique, na África. Conhece 14 países e quase todos os estados brasileiros. Suas reportagens ganharam prêmios de direitos humanos e de jornalismo investigativo.
follow me

2 reflexões sobre “O centro de reabilitação – capítulo V”

  1. Fausto RochaDisse…
    Replied on

    É uma pena que a Sociedade Brasileira de modo geral não tenha conhecimento de uma instituição desse quilate, nem muito menos saiba dos serviços essenciais prestados. Graças a Deus ainda temos no Brasil gente de bem e que pensa no seu semelhante como ser humano de verdade, mas por outro lado temos os sanguessugas do Congresso Nacional, aliás, sendo a maioria CORRUPTOS e PROPINEIROS.

    1. Paulo OliveiraDisse…
      Replied on

      Fausto, caro amigo, nossa luta é para transformar essa situação. É um trabalho lento, mas tenho esperança que um dia conseguiremos banir esses sanguessugas, como você bem define.
      Abraços,
      Paulo Oliveira – editor do site Meus Sertões

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *