Dia: outubro 14, 2020

Tecnologia impulsiona o novo beatismo – Capitulo II

Wellington Santana de Lima, 57 anos, irmão do padre Airton, é o superintendente da Fundação Terra. É ele quem nos guia pelas obras sociais de Arcoverde. Paciente e cordial, Wellington ressalva que a instituição também oferece serviços para a população em outras cidades – Recife e Maracanaú (CE). Engenheiro, responsável por concretizar os planos de Airton, ele gosta de fazer um jogo de palavras, brincando com a situação:

…Ler mais.

Padre Airton e a transformação de Arcoverde – Capítulo I

“A primeira criança que morreu em meus braços era um menino muito magro. Tomei-o nos braços: ele tinha olhos grandes, abria e fechava a boca. Eu procurei água no pote, mas não havia água. Também não encontrei água na torneira. Levantei-me às pressas, e saí em direção à rodoviária, para pegar um ônibus e ir ao hospital. No caminho, vi que ele estava morrendo. Olhei para o menino e desabafei num choro que não conseguia conter. Parei e, olhando bem para ele, molhei a ponta dos dedos nas lágrimas que caíam no seu rosto magro, quase sem vida, e pensando em Deus, disse: José, eu te batizo em Nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo, amém”.

As lembranças do tempo em que o  Padre Airton Freire de Lima, 64 anos, foi morar em uma casa de taipa na rua do Lixo, na verdade o local onde estava situado o vazadouro do município de Arcoverde, no sertão pernambucano, estão vívidas em sua memória e registradas no livro “Aos Olhos de Deus”, escrito em 1997, em português e alemão, e até hoje entre os livros mais vendidos dos cerca de 90 de autoria do religioso.

…Ler mais.