Mineradora destrói topo de serra sagrada em Saúde

Mineradora destrói topo de serra sagrada em Saúde

Um grupo de moradores do distrito de Genipapo se mobilizou para protestar contra a ação da mineradora ZLF Quartzo Brasil Mineração, que começou a extrair quartzo da Serra da Santa Cruz embora só tenha autorização para a realização de pesquisa mineral. Na serra, há 12 quilômetros da sede do município, entre Saúde e Caldeirão Grande, está instalado o cruzeiro da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, onde são realizadas romarias para homenagear a padroeira da cidade.

A mineradora ZLF está explorando quartzo indevidamente próximo ao cruzeiro de Nossa Senhora da Saúde. @Thomas Bauer/CPT
ZLF explora quartzo, indevidamente, próximo ao cruzeiro de N. Sra da Saúde. @Thomas Bauer/CPT

A destruição de um local sagrado, sem autorização, é mais um exemplo da “passagem da boiada” em período de pandemia de Covid-19. Além de facilitar o licenciamento para mineradoras, os governos federal, estadual e municipal têm sido omissos na fiscalização dos empreendimentos. Segundo moradores que foram ao local nesta quarta-feira, eles souberam há duas semanas que a ZLF estava retirando quartzo e procurando ouro no local. Eles constataram que a mineradora tirou o maquinário às pressas e os colocou em uma fazenda próxima.

Saúde remonta aos assentamentos bandeirantes instalados em área originalmente habitada por índios da tribo dos Paiaiás. Mais tarde, se transformou no Arraial de Nossa Senhora da Saúde, ligado administrativamente à Jacobina. Os exploradores consideravam que a região onde pernoitavam era benéfica à saúde, daí o nome do local. A emancipação definitiva ocorreu em 1933. A cidade está localizada a 353 quilômetros da capital do estado, Salvador, em uma região montanhosa. A sede municipal fica a 542 metros de altura. A população, é de 12.943 habitantes, segundo estimativa do IBGE, e 52,5% dos moradores têm renda mensal de até meio salário mínimo.

A busca por quartzo e ouro na serra começou em 2014, quando Helmo Bagdá Gama pediu autorização para realização de pesquisas. Helmo, sócio de duas mineradoras em Pindobaçu (HP e Vulcano) e uma empresa de serviços geológicos em Salvador (Setegeo), de acordo com o site consultasocio.com. Ele também foi proprietário da Minerva Mineração, em sociedade com a Ovisos S.A, sediada nas Ilhas Virgens. No entanto, a empresa está inativa por não apresentar declarações à Receita Federal.

A área inicial para o estudo era de 254,8 hectares (processo 871.603/2014 da Agência Nacional de Mineração – ANM). Em abril de 2016, Helmo fez cessão parcial dos direitos minerários para a Alfa e Ômega Mineração ME (microempresa), localizada na cidade de Padre Paraíso, em Minas Gerais.

No Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ) consta que os donos da Alfa e Ômega são Leonardo Pereira Chaves e Estevam Antônio Fiório Júnior, filho do ex-prefeito de Rio Novo do Sul (ES), Estevam Antônio Fiório, que chegou a ser cassado por abuso de poder político e econômico.

O pedido de cessão total da autorização de pesquisa mineral é protocolizado em abril de 2019. Um dia antes da ANM aprovar a cessão total, em 15 de janeiro de 2020, a Alfa e Ômega se afasta e a ZLF Brasil Quartzo Mineração assume. A área de pesquisa passa a ser maior:  314,55 hectares.

A Brasil Quartzo (nome fantasia) pertence ao chinês Zhang Zhengxu e a Amauri Avelino Toledo. A sede fica em Monte Santo (BA) e a filial em Caldeirão Grande (BA), mas o telefone de contato das duas é de Minas Gerais. A sede foi fundada em maio de 2018; a filial, em abril do ano seguinte.

Em Monte Santo, a empresa concluiu o relatório final de pesquisa para explorar quartzito, mas ele foi rejeitado pela ANM com base no artigo 30 do código minerário – insuficiência dos trabalhos ou deficiência técnica. O quartzito é uma rocha com mais de 75% de quartzo, usada na siderurgia para preparar o leito de fusão dos altos-fornos e na construção civil, onde pode ser aplicada de diferentes formas, incluindo painéis decorativos e bancadas. Por ser material resistente e de maior custo produtivo, é mais caro do que as demais rochas.

Meus Sertões entrou em contato com o secretário de Comunicação do governo estadual, André Curvello, esta manhã, para saber se será feita alguma ação fiscalizadora no local. Assim que ele responder, publicaremos quais providências serão tomadas.

Jornalista, 58 anos, traz no sangue a mistura de carioca com português. Em 1998, após trabalhar em alguns dos principais jornais, assessorias e sites do país, foi para o Ceará e descobriu um novo mundo. Há dez anos trabalha na Bahia, mas suas andanças não param. Formou comunicadores populares nas favelas do Rio e treinou jornalistas em Moçambique, na África. Conhece 14 países e quase todos os estados brasileiros. Suas reportagens ganharam prêmios de direitos humanos e de jornalismo investigativo.
follow me

4 reflexões sobre “Mineradora destrói topo de serra sagrada em Saúde”

  1. Silvia SantosDisse…
    Replied on

    Muito obrigada pela publicação da matéria! Sou da região de Genipapo e posso afirmar que a destruição está muito intensa e a população está com medo. Parece haver um conluio entre os políticos inidôneos e a empresa ZLF Brasil, até porque a área é reconhecida pelo governo do estado como o único sítio arqueológico da cidade de Saúde, com inúmeras escritas rupestres e materiais cerâmicos de milhares de anos atrás. Gostaria apenas de notar que a localização da Serra da Santa Cruz informada no texto está incorreta. Existem 2 serras chamadas de Santa Cruz no município de Saúde, uma na sede do município (a informada no texto), e outra que fica na comunidade de Genipapo, a cerca de 12 km de Saúde, e que está sendo destruída.

    1. Paulo OliveiraDisse…
      Replied on

      Grato pelo retorno e por informar sobre a existência de duas serras com o mesmo nome e sobre a existência de importante sítio arqueológico na região. Equipe Meus Sertões

  2. Cilene Leticia Neves NegreirosDisse…
    Replied on

    Que maravilha Paulo contarmos com você. Precisamos proteger nossas serras. HÁ um movimento intitulado Salve as Serras que está reunindo pessoas e organizações para o enfrentamento à destruição da natureza e o desrespeito às populações locais mais afetadas por essas ações de destruição.

    1. Paulo OliveiraDisse…
      Replied on

      O site está aberto à toda iniciativa voltada para a preservação ambiental. Conte conosco? Grato pelo contato.

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *