Dia: setembro 9, 2020

As tilápias de padre Antonio – capítulo I

O semiárido brasileiro é uma região que compreende 1.262 cidades de 10 estados. Em uma área equivalente a três vezes o território da Alemanha vivem 28 milhões de pessoas que aprenderam a conviver com a seca e a resistir ao abandono e à injustiça impostos por líderes políticos locais, muitas vezes com apoio do governo federal. Essas transformações se processam aos poucos, graças à atuação de pessoas – muitas delas religiosas –, que fazem opção pelos pobres e os levam a viver com dignidade. Os padres Pier Antonio Miglio e Airton Freire de Lima são exemplos de homens imprescindíveis, cujas ações – seja através de obras sociais, espirituais ou da organização de trabalhadores – impactam na vida dos sertanejos, transformam a realidade socioeconômica de municípios e repercutem até no exterior.

As histórias de Antonio e Airton, contadas nesta série de reportagem da parceria Meus Sertões/Headline, mostram que é preciso ter disposição para enfrentar os obstáculos que surgem a todo instante. A melhoria de renda dos jovens criadores de tilápias de Jatobá, em Pernambuco, por exemplo, irritou a classe dominante da região, acostumada a pagar ínfimas quantias aos trabalhadores domésticos. Os salários aumentaram consideravelmente. Em compensação, o poder municipal não cria políticas públicas para incentivar a atividade. Já a popularidade obtida entre os catadores de lixo de Arcoverde, beneficiados por serviços antes inexistentes, provocou inveja e resultou em uma avalanche de intrigas e falsas acusações feitas por políticos e outros padres.

Imbuídos dos sentimentos de caridade e solidariedade, pregados pelos seguidores do catolicismo popular nordestino no século XIX, os religiosos que estão mudando a realidade no sertão mantêm-se firme em seus propósitos. Eles se baseiam em ações concretas, religando o religioso ao secular, graças ao advento de redes sociais e da aproximação com o povo, como veremos a seguir.

…Ler mais.

Os ganhos dos associados – capítulo II

Os principais peixes criados em Jatobá são as tilápias nilóticas, da linhagem chilatrada, melhoradas geneticamente com cruzamento, não com manipulação. A experiência de melhoramento começou a ser feita na Tailândia, por isso, embora sejam nativas da África, elas também são chamadas de “tailandesas”.  No Brasil, algumas firmas de alevinagem prosseguem com experiências de melhoramento para obter um peixe com cabeça menor, lombo com mais carne e tempo menor de crescimento. Hoje, são necessários cerca de sete meses para as tilápias atingirem 1 kg, 1,2 kg.

…Ler mais.

Um apostolado diferenciado – capítulo III

Fã de filmes clássicos em preto e branco, o padre Pier Antonio Miglio, recomenda entusiasticamente “Uma voz nas sombras” (“Lilies of the field” – 1963), que fez de Sidney Poitier o primeiro negro a ganhar o Oscar de melhor ator. Entusiasmado, ele resume a obra como um lindo filme “sobre esse negócio de padre e igreja”, apesar de ser centrado na história de freiras e de um trabalhador evangélico (Poitier) que ajuda as religiosas a construírem uma capela:

…Ler mais.