Mês: julho 2019

Pescadores em barragem

Pescadores do rio São Francisco, que agoniza lentamente, conseguem sobreviver de seu trabalho em raros redutos. Um deles é no lago da barragem da Usina Hidrelétrica de Itaparica (hoje chamada de Luiz Gonzaga), no rio São Francisco, entre os estados de Pernambuco e Bahia. Lá, conseguem pescar tilápias, curimatãs, caris e piranhas, que são vendidos as feiras das cidades de Floresta e Belém de São Francisco, no lado pernambucano.

…Ler mais.

Novos olhares

A exposição “Malhada de Pedras: um retrato arquitetônico de sua história” foi organizada para celebrar a comemoração dos 57 anos de emancipação política do município de Malhada de Pedras, localizado na região Sudoeste da Bahia, a 689km da capital baiana. O trabalho foi produzido pela turma 2019 do curso técnico em Processos Fotográficos do Colégio Modelo Luiz Eduardo Magalhães de Guanambi, sob a supervisão da professora e jornalista Natália Silva, colaboradora de Meus Sertões desde a criação do site.

…Ler mais.

Romaria da Terra

A 42ª Romaria da Terra e das Águas, realizada em Bom Jesus da Lapa, a 779 quilômetros de Salvador, atrai todos os anos milhares de romeiros. Este ano o tema foi ““Terra, Água e Justiça: Direitos Sagrados”. O fotógrafo Severino Silva, parceiro de Meus Sertões, participou do evento, entre os dias 5 e 7 de julho, e produziu as fotos que fazem parte, a partir de hoje, da seção Galeria, na primeira página do site.

…Ler mais.

Frei Damião: o homem

O padre italiano Pier Antonio Miglio, 65 anos, 40 deles dedicados aos sertanejos e ao sertão, conheceu bem seu conterrâneo Frei Damião. Nas dioceses de Paulo Afonso (BA) e Floresta (PE), ele teve a oportunidade de se encontrar várias vezes com o capuchinho, tendo inclusive o recebido como hóspede em casa. Antonio desmistifica a imagem normalmente atribuída ao homem que está para ser santificado pelo papa Francisco:

“Eu tive a sorte de conhecer Frei Damião. Ele era realmente uma pessoa única no mundo dele, era uma graça. Nada a ver com o que diziam:  que ele não comia, que não pisava no chão, que fazia penitência. Na minha casa ele tomava refrigerante com todo gosto e botava os biscoitos champanhe no refrigerante ” – conta.

…Ler mais.