Catimbó – Final

Não é pouco complexa a iniciação do juremeiro.

De costumes mais antigos como o TOMBAMENTO em que o iniciado tombava sob a força de beberagens entre as quais uma feita com a própria jurema, o iniciante chegava a um estágio limiar entre a vida e a morte.

Assim “desacostada” do corpo, a alma passeava num percurso por cidades e reinados espirituais em busca de um guia com quem retornasse à matéria.

O futuro juremeiro Batista no dia da sua iniciação, nos conta da sua experiência.

Houve um tempo em que tudo se dava num ambiente semelhante aqueles onde as rezadeiras e carpideiras tão nossas conhecidas oravam e cantavam por dois, até três dias, ajudando na passagem de um moribundo ou clamando pelo seu retorno. De tais viagens no tombamento muitos nunca voltaram para os seus mestres!…

Saudável e inteligentemente, a religião migrou para novas formas iniciáticas, entre as quais a que apresentamos hoje.

 

Compartilhe esta publicação:
Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Sites parceiros
Destaques