‘A vermelha’

‘A vermelha’

Dona Maria Elisa chama erisipela de “a vermelha”. Com folhas e reza. Essa é a receita para curar a “bicha fera, que dá no osso, dá na carne e dá na pele”.

Dando prosseguimento à pesquisa sobre cultura popular, a médica Helenita Monte de Hollanda mostra como isto é feito no povoado de Mandaçaia, em Tucano (BA).

A erisipela é uma infecção causada por dois tipos de bactérias que penetram na pele ou na mucosa através de pequenos ferimentos e se espalha pelos vasos linfáticos, podendo atingir o tecido subcutâneo e gorduroso.

Na maioria das vezes, a lesão aparece nas pernas ou no rosto de pessoas com excesso de peso, diabética, com problemas circulatórios, cardiopatas e pacientes com doenças renais ou crônicas debilitantes.

Febre e bolhas

Os primeiros sintomas da “vermelha” são febre alta, tremores, mal-estar, náuseas e vômitos, que podem ocorrer de uma hora para outra. A lesão pode vir acompanhada de dor, vermelhidão e inchaço e formar bolhas e feridas.

Na medicina tradicional costuma ser tratada com antibióticos, repouso e colocar as pernas para o alto. É preciso seguir o tratamento para evitar a repetição da doença.

Nasceu e cresceu numa típica família brasileira. Potiguar, morando na Bahia há vinte anos, é médica de formação e pesquisadora da cultura popular. Nos últimos 10 anos abandonou a sua especialidade em cardiologia e ultrassonografia vascular para atuar como médica da família na Bahia e no Rio Grande do Norte, onde passou a recolher histórias e saberes. Nessa jornada publicou cinco livros.”. No final de 2015 passou temporada no Amazonas recolhendo saberes indígenas.
follow me

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *