Ano: 2016

O velho comandante

O comandante Aprígio Nunes navega para os 70 anos a bordo da barca Vitória Régia, no vaivém da ligação entre Juazeiro e Petrolina. Desde julho de 1970, após tentativa frustrada de ser sócio de uma plantação de café, ele está no leme da barca Vitória Régia  –  a segunda com o mesmo nome que pertence a sua família. …Ler mais.

Dois dentes e quatro cordas

José Rosalvo dos Santos nasceu em Creguenhém, no município de Tucano (BA). Como toda criança sertaneja, ajudava o pai, trabalhando com ele nas feiras da região. O velho foi picado por cobras cinco vezes e ficou cego. Foi aí que, para ganhar dinheiro, José Rosalvo virou o Zé do Cavaquinho, após aprender a tocar o instrumento com um copo, uma garrafa, os pés e a especialidade que o transformou na maior celebridade da região: os dentes. …Ler mais.

Nidinha variedades

A vida para Eronildes Ferreira de Andrade, a Nidinha, consiste em trabalhar e se dedicar à religião. Aos 85 anos, teve “uns namoros bestas, sempre de longe, nunca no portão”. A mais antiga comerciante de Uauá, na Bahia, tem saudades dos pais e das festas em sua casa. Vez por outra, pega-se em cantorias, as mesmas cantadas ao redor do fogo com os “padrinhos de fogueira”, nas noites de São João.

…Ler mais.

A longa travessia de Manuel

Claudiceia está sentada em um colchão no chão com um bebê quando, finalmente, localizo o imóvel em frente ao orelhão, onde “se encontra o responsável pelo museu”. Cheguei ali seguindo as instruções do bilhete que está preso à porta do memorial do povoado de Canudos Velho. É que, dependendo do ângulo, o telefone público do outro lado da calçada fica diante de duas casas e de um botequim, onde um vira-lata descansa. …Ler mais.