“Não cacei mais”

“Não cacei mais”

Nosso leitor Junsandro Ferreira, do distrito de Lages do Batata, em Jacobina (BA), mandou um depoimento, confirmando a existência da caipora, após ler matéria sobre o ser encantado, publicado em Meus Sertões. Ele relata um episódio que ocorreu com ele, no distrito de Lajes do Batata. E nos autorizou a publicá-lo. Eis o que ele nos conta:

“Mas é claro que existe caipora. Eu já  fiquei desorientado no mato por conta dela. É muito estranho e amedrontador. Eu estava caçando em uma mata quando passou um pássaro que a gente chama de lambu. Preparei o tiro, disparei e não acertei . Após o tiro perdido, me veio uma tontura. Fiquei desorientado por muito tempo, parado em um pé de árvore. Daí, me lembrei o que meu avô me falava: ‘Sempre que se sentir desorientado no mato, perdido, não caminhe, não vá pra frente ou pra trás, pois é a caipora, ou dona do mato como chamamos, que está querendo te pegar’. Fiquei parado por mais de duas horas. Quando ela se foi, encontrei a saída que estava a uns dez metros de mim e não conseguia enxergar . Depois disso, não cacei mais. Há mais relatos de amigos que já viram ela montada em um porco espinho, correndo pela mata.”

Outros encontros com a caipora

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *