Mestranda em História, Cultura e Práticas Sociais. Universidade do Estado da Bahia – UNEB

Safira e Bento

MEMÓRIA TEM CHEIRO

Priscila Godinho Martins dos Santos *

Cheiro daquele lugarzinho, cujo nome é de um santo, o santo casamenteiro: Santo Antônio, povoado de Campo Formoso. A princípio sente-se o cheiro da areia que pairava sobre a porta da humilde casa. O solo do povoado era arenoso. Ao adentrar a casa, sentimos o cheiro das velas acesas no primeiro quarto, nele avistamos duas camas de solteiro, uma era especial, a favorita da “netaiada”. Era uma cama com molas, cujo colchão foi confeccionado pela proprietária da casa, que o encheu de lã do fruto da barriguda, na minha cabeça tratava-se das mesmas galhas com que fazia as vassouras para varrer o terreiro. …Visualizar o restante