Autor: Paulo Oliveira

O presépio de Gilberto

O mês de novembro é o mais agitado do ano para o santeiro Gilberto Vieira Alves, 46 anos, morador de Itambé, cidade do centro-sul baiano. Além de atender suas encomendas, ele começa a montar dentro de casa um presépio que se tornou tradicional e atrai centenas de visitantes. A exposição gratuita começa no dia 1º de dezembro e termina no dia 8 de janeiro.

…Ler mais.

As ceramistas de Malhada de Areia

Malhada de Areia está localizada a 6 km da cidade de Cordeiros e a 23 km de Condeúba, na região centro-sul da Bahia. O povoado pertence à cidade mais distante e tem como particularidade o fato de que um terço das famílias cadastradas na associação local possui fornos de vários formatos em seus quintais. Há mais de um século, boa parte dos moradores, principalmente as mulheres, sobrevive graças à produção de cerâmica.

…Ler mais.

Marca histórica adulterada em Condeúba

As marcas da passagem da Coluna Prestes por Condeúba, cidade com cerca de 18 mil habitantes, encravada na região centro-sul da Bahia, estão na antiga Casa da Câmara e Cadeia de Condeúba. No imponente prédio do Paço Municipal, cuja construção levou 28 anos (1853-1881), funcionaram também o fórum e a câmara de vereadores. Hoje, ele abriga a diretoria de escolas da zona rural e o gabinete do prefeito.

…Ler mais.

A gruta de Aparecida

O ônibus entra em Condeúba, a 150 km de Vitória da Conquista, no sudoeste baiano. No caminho até a agência da Viação Novo Horizonte, diante da igreja matriz de Santo Antônio, passa por uma construção de pedras com uma coroa de zinco fincada em uma haste presa ao teto. A gruta chama a atenção de quem está na cidade pela primeira vez e traz em si uma história muito interessante, que nos é contada pelo mestre de obra Anfilófio Antonio de Sousa, o seu Filó, 84 anos, integrante da Irmandade do Santíssimo Sacramento.

…Ler mais.

Alerta máximo

As cidades de Condeúba, Piripá e Cordeiros, no sertão baiano, enfrentam a pior crise hídrica de suas histórias devido à estiagem e à drástica redução do volume de água da barragem de Champrão, construída em 1955 e responsável pelo abastecimento de cerca de 40 mil moradores. A capacidade do açude é de 5,9 milhões de metros cúbicos, mas nos dias de hoje não chega a 11% do total.

…Ler mais.

Dona Lina

Aderaldo era um homão forte, valente e brigão, que andava com um facão na cabeça na sela. Os donos de bares quando o viam ao longe, fechavam as biroscas. Não queriam confusão. Às vezes, no entanto, não dava tempo. Ao entrar, dava ordem para ninguém sair. Quando bebia, fazia os outros beberem a pulso.

…Ler mais.