Autor: Paulo Oliveira

Dona Preta

O ex-caminhonheiro Antônio Carneiro de Oliveira, o Antônio de Roque, 76 anos, tem muitas histórias para contar. Uma delas é sobre uma paixão antiga: uma bicicleta Opel alemã.

Esta é a segunda matéria envolvendo este morador de Ichu, cidade a 178 km de Salvador, publicada por Meus Sertões. A primeira foi a do apagão no circo durante a apresentação do cantor e compositor Luiz Gonzaga. Em breve, encerraremos a trilogia.

…Ler mais.

Todos de branco

Santa Brígida, cidade do sertão baiano que tem o nome da padroeira da Europa, se desenvolveu a partir da chegada do líder messiânico Pedro Batista. Ele e Maria das Dores dos Santos, a Madrinha Dodô, ex-assistente de Padre Cícero, acreditavam que o sofrimento do corpo era o caminho para se chegar até Deus. Por isso, pregavam a necessidade de os cristãos fazerem penitências e sempre rezarem.

…Ler mais.

Dona Elza e o queijo de fogo

O queijo de fogo é um tipo de requeijão suave, feito artesanalmente com leite, manteiga de garrafa e pouco sal. Sua fabricação é trabalhosa. Da coleta do leite até sair pronto da forma são necessárias 34 horas, sendo que duas delas são passadas diante de um forno de pedras e lenha, mexendo a colher de pau sem parar. O processo faz com que poucos se aventurem a fazê-lo.

…Ler mais.

Fora de rota

Sábado, 27 de abril de 2019, rodoviária de Arcoverde, no sertão pernambucano. Às 19 horas, encosta o ônibus da Viação Progresso, número de série 6141, placa NYX-1179. O motorista desce agitado do veículo. Só há dois passageiros para o embarque. Eu e o fotógrafo Severino Silva. Nosso destino é Paulo Afonso (BA). A passagem custa R$ 49,90, incluindo os R$ 6,30 da taxa de embarque.

…Ler mais.

Romaria Pankararu


A relação entre o padrinho Pedro Batista da Silva (1888 – 1967), beato e conselheiro estabelecido em Santa Brígida (BA), a Madrinha Dodô (1902 – 1998), seguidora e herdeira espiritual de Batista, e os indígenas Pankararu se consolidou graças a Maria Bárbara Binga (1917-1993), indígena batizada pelo padre Cícero, devota dos padrinhos e criadora do grupo de penitentes da aldeia de Brejo dos Padres.

…Ler mais.

Guaraná abençoado

Depois do guaraná Jesus, refrigerante de coloração rosa, com toque de cravo e canela, inventado por um farmacêutico maranhense, em 1927, surge uma nova tubaína sagrada. É o guaraná Madrinha Dodô, fabricado em um depósito, em Santa Brígida, no sertão baiano, pelo ex-funcionário da Companhia Hidrelétrica do São Francisco (Chesf), Ivanildo Gomes de Melo, 80 anos.

…Ler mais.

Forró no escuro

Antônio Carneiro de Oliveira, o Antônio de Roque, 76 anos, é ex-caminhoneiro, ex-vereador e tem o dom para consertar e criar mecanismos diversos. Com tantas histórias para contar, ele aparecerá mais vezes em Meus Sertões. No entanto, escolhemos um episódio marcante na história de Ichu (BA) para a estreia deste fabuloso personagem.

…Ler mais.

Romaria na Semana Santa

A menos de 15 dias do início da Semana Santa, Meus Sertões reconstitui com fotos o caminho da procissão que sai da Igreja do Sagrado Coração de Jesus e vai até ao Santuário da Santa Cruz, em Monte Santo (BA). A romaria, que reproduz a Via Sacra, foi o mesmo caminho percorrido pelos homens de Antônio Conselheiro, que o levaram de maca até o local onde o frei Apolônio de Toddi determinou, no século 18, a construção de um dos templos mais procurados pelos sertanejos na Sexta-Feira da Paixão e no dia de Todos os Santos, em novembro.

…Ler mais.