Meus Sertões Universidade: inscrições

Meus Sertões Universidade: inscrições

Estão abertas, de hoje (20/11) até o dia 30 de dezembro de 2018, as inscrições para o programa Meus Sertões Universidade, que consiste na orientação de trabalhos práticos de conclusão de curso de jornalismo, feito por jornalistas do site www.meussertoes.com.br .

Para se inscrever, o interessado tem que enviar um e-mail para contato@meussertoes.com.br, contendo:

  1. Minicurrículo
  2. Resumo e objetivo do TCC
  3. Produtos previstos  (reportagem, livro-reportagem, vídeo…)

Poderão participar universitários de jornalismo de todo o país.

Também será feita uma entrevista via Skype ou Whatsapp que terá caráter eliminatório.

Não há custo para os interessados. Os requisitos exigidos são: dedicação, perseverança e busca permanente por conhecimento.

Os três selecionados terão acompanhamento até a conclusão do TCC, por um período mínimo de dois semestres. Todo o conteúdo produzido será publicado no site Meus Sertões, cujo crédito deverá constar em todas etapas, inclusive no produto final.

O acompanhamento de Meus Sertões só será feito com a concordância do orientador acadêmico. Quem não cumprir uma das etapas propostas será excluído do programa.

PROJETO PILOTO

Em 2018, Meus Sertões Universidade fez o acompanhamento do TCC da jovem jornalista Camila Gabrielle, aluna da Unesp (Universidade Estadual Paulista/Bauru). O trabalho final é o documentário “O sertão entre a flor e o espinho”, que será lançado no dia 29 de novembro no site Meus Sertões.

Camila produziu ainda reportagens, ensaio fotográfico, filmes e editorial que podem ser conferidos nos links abaixo.

Identidade nordestina O convite Sertania Itabi Os sertanejos Trailer do documentário Galeria de fotos

 

Jornalista, 56 anos, traz no sangue a mistura de carioca com português. Em 1998, após trabalhar em alguns dos principais jornais, assessorias e sites do país, foi para o Ceará e descobriu um novo mundo. Há dez anos trabalha na Bahia, mas suas andanças não param. Formou comunicadores populares nas favelas do Rio e treinou jornalistas em Moçambique, na África. Conhece 14 países e quase todos os estados brasileiros. Suas reportagens ganharam prêmios de direitos humanos e de jornalismo investigativo.
follow me

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *