Mês: agosto 2018

As mandalas

Considerado o maior centro de artesanato em barro da América do Sul, o povoado de Maragogipinho, situado no município de Aratuípe, às margens do Rio Jaguaripe, no Recôncavo Baiano, tem sua atividade econômica voltada para a olaria com fabrico de peças tanto para fim decorativo quanto utilitário – as ruas do lugarejo são tomadas por esses ateliês que se seguem lado a lado.

…Ler mais.

A irmandade

Grupo de mulheres negras mantém há mais de dois séculos a tradição de venerar Nossa Senhora da Boa Morte, em Cachoeira, cidade do recôncavo baiano. O culto iniciado no século XIX por ex-escravas e filhas de escravizados foi disseminado pelos portugueses, sofrendo muitas influências das religiões afro-brasileiras.

A Irmandade da Boa Morte, apoiada inicialmente pela Igreja da Barroquinha, em Salvador, foi criada em uma época em que não havia nenhum tipo de benefício para mulheres.  A cobrança de joias de admissão, mensalidades e esmolas visava alforriar escravas, promover festejos, bancar obrigações religiosas e garantir sepultamento decente para elas.

Este ano, Meus Sertões Arredores foi conferir o evento, que dura cinco dias. A data mais importante é 15 de agosto, quando se comemora a assunção de Nossa Senhora. Foi celebrada missa solene, presidida pelo bispo da diocese de Cruz das Almas, Dom Antônio Tourinho Neto.

No final da cerimônia, as mulheres da irmandade fizeram questão de cantar “Sorriso Negro”, samba composto por Adilson Barbado, Jorge Portela e Jair de Carvalho e transformado em clássico da MPB e hino à negritude na voz de Dona Ivone Lara.

Em seguida foi realizada a procissão em homenagem à Nossa Senhora da Glória.

Pela primeira vez acompanhando o evento, Meus Sertões decidiu focar a cobertura na parte religiosa da festa – ainda ontem foi servido um almoço e realizada uma roda de samba como parte das comemorações. Veja o resultado no vídeo abaixo.

 

Bois vazados

Maria Eroneide Laurentino, a Nena de Capela, 44 anos, é artista de natureza versátil e criatividade rara. De uma criação em região de usinas e um viver adulto de dona de casa, a neta de antiga louceira começou a frequentar o atelier do cunhado João das Alagoas como ajudante e logo encontrou o gosto ancestral na lida com o barro. E floresceu!

…Ler mais.

A alma alvinegra de Villadônega

Villadônega de Souza Rodrigues jogava pelada debaixo de uma ponte no bairro de Jequiezinho, em Jequié, cidade do sudoeste baiano a 365 quilômetros de Salvador, quando foi descoberto pelo médico e diretor de hospital Sebastião Azevedo. Sócio benemérito do Vasco, Azevedo resolveu mover céu e terra para levar o menino de 12 anos para fazer um teste no time infanto-juvenil do clube pelo qual torcia.

…Ler mais.

2º Concurso de Fotografia Meus Sertões

O 2º Concurso de Fotografia Meus Sertões tem como tema A ÁGUA NO SERTÃO. O objetivo é selecionar 20 fotografias expressivas sobre a importância da água, o consumo consciente, a denúncia de desperdício e o uso de novas tecnologias para a convivência com a seca no semiárido brasileiro. Estas fotos ficarão expostas na seção Galeria, na primeira página do site www.meussertoes.com.br, durante 90 dias, a partir da segunda quinzena de novembro de 2018.

…Ler mais.