A voz

A voz

SOTAQUE DE UM POVO NAS BARRANCAS DO VELHO CHICO.

Cresci ouvindo músicas e informações na difusora A Voz da Liberdade, rádio comunitária que propagava seu som através de alto-falantes pendurados nos postes de iluminação de Xique-Xique.Mário Leandro ou Mário Véi , como ficou mais conhecido, era o locutor principal, o locutor chefe.

O maior comunicador da rádio começou trabalhando na parte mecânica, chegou a locutor após o comunicador titular (seu antecessor) fazer uma viagem e deixá-lo responsável pelo serviço de passar músicas. Somente isso.

Certo dia, a curiosidade de saber como seria sua voz nos serviços de alto-falante foi maior que seu a fazer, e abriu os trabalhos do dia com a seguinte locução:

“Senhores ouvintes bom dia, nesse momento entra no ar o serviço de alto-falante  A Voz da Liberdade, para apresentar a primeira parte dos seus trabalhos de hoje. A todos desejamos uma ótima audição. ”

E, assim, durante os intervalos voltava a anunciar:

“Estão ouvindo os serviços de alto-falante da radio A Voz da Liberdade, com seus 100 watts de potência do seu possante amplificador, transmitindo do seu estúdio, situado na praça Dom Máximo, para os principais pontos da cidade. ”

Ao fazer o anúncio do filme que seria exibido no Cine Bonfim, ele criava uma sinopse:

“Atenção telespectadores do Cine Bonfim, não percam hoje a partir das 20 horas, o grande faroeste do cinema italiano “O Rifle de Quinze Tiros”. Seu peito era uma muralha, seu ifle um rio de fogo, cada instante jogava sua vida numa cartada mortal. “O Rifle de Quinze Tiros” hoje na tela do Cine Bonfim.

Com isso, a população gostou, e, Mário Leandro seguiu trabalhando nos serviços de alto-falantes da rádio A Voz da Liberdade, como locutor.

A NAMORADA E A TURISTA

Nessa trajetória, ele relata os fatos mais hilários que lhes ocorreram:

”Arrumei uma namorada na Ilha do Paulista, como a rádio não tinha muita potência de som, ela subiu num pé de ‘canafista’ (canafístula), para ouvir minha voz. ”

*–*–*

“Certa manhã, após o vapor Benjamim Guimarães ancorar no porto da cidade, uma turista ouviu e gostou da minha voz no serviço de rádio. Ela pagou um menino para que a levasse ao estúdio na intenção de me conhecer. Eu acabara de consertar o motor do gerador, e fiquei na porta do estúdio todo sujo de óleo, quando ouvi a mulher perguntar ao menino:

– Quem é o locutor aí?

– É esse aí que tá na porta.

– Não. Eu quero saber o que fala na rádio.

– Eu, meio envergonhado, respondi: “sou eu moça”.

– A mulher deu meia volta, e falou em voz baixa:

– Uma voz tão bonita, numa cara tão feia. ”

DILTON DE TONHO DE MILHO

Outro personagem marcante na história da rádio é o funcionário da rádio de telégrafos da cidade. Ele ficou na memória dos ouvintes ao informar pela primeira e única vez a previsão do tempo:

“O tempo hoje está parcialmente nublado, nuvens grossas sobre o telhado de Gringo Preto.

Ventos fortes do leste ao oeste, com rajadas de até 30 quilômetros por hora na estrada da carnaúba.

Umidade relativa do ar está no momento em 30%, beirando a ipueira.

Índice ultravioleta 7, alto, no meio da caatinga.

Nebulosidade, 3% em cima do Morro de Anísio.

Visibilidade, 16 quilômetros rumo a avenida J.J Seabra.

Previsão de chuva, 10%, em cima da casa de Adão Bastos.

Uma ótima segunda-feira para todos. Amanhã com a permissão do Pai-Todo-Poderoso, eu voltarei com a previsão do tempo. Dilton de Tonho de Milho para a Voz da Liberdade”.

Coisa de Xique-Xique na Bahia

Arilson B. da Costa Contributor
Arilson Borges da Costa ,nasceu em 22 de fevereiro de 1970, em Xique-Xique – BA. Filho de sorveteiro e neto de pescador, é professor e auxiliar de serviços gerais. Estudou contabilidade na escola pública de Xique-Xique, no interior da Bahia, porém em 2008 abandonou definitivamente a área de exatas e passou a estudar letras vernáculas, na universidade pública da Bahia (UNEB), com a finalidade de aprofundar na área da lingüística e literatura. Ao longo de sua vida acompanhou pescadores às margens do rio São Francisco, no intuito de entender o sotaque do povo ribeirinho, por isso migrou seu trabalho para escrita de contos e causos do povo ribeirinho.Está continuamente produzindo contos e causos de ribeirinhos, poesia, vídeos, áudios e fotografias, a maioria deles disponibilizados em sua página do Facebook.
follow me

Uma reflexão sobre “A voz&rdquo

  1. Albino OliveiraDisse…
    Replied on

    Sensacional!!!! A legítima voz do povo!!!!

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *