‘Reis’ e cavalgada para S. Sebastião

‘Reis’ e cavalgada para S. Sebastião

No sertão é assim: grupos de reisado deixam suas cidades, distritos ou povoados no dia 1º e peregrinam até o dia 6 de janeiro, quando voltam para casa e participam da reza dos Santos Reis. Descansam um pouco e no dia 14 saem de novo, com uniformes em cores diferentes para cantar e saudar São Sebastião. Ele retornam apenas no dia 20, data em que o santo é homenageado. Alguns chamam a segunda peregrinação de “reis de São Sebastião”.

Em algumas localidades, onde São Sebastião é padroeiro, no intervalo entre as duas datas – 6 e 20 de janeiro – é feita uma cavalgada para homenageá-lo. É o caso do povoado de Penachinho, em Boa Nova. Cavaleiros de várias localidades vão até lá, carregando o estandarte do santo.

Em seguida, dão uma volta em torno do templo e, montados, se posicionam diante do templo para ouvir rápidas palavras do ministro. Muitos rezam e uns poucos tiram os chapéus. Em seguida,  água benta lançada com galhos de folhas. O ritual dura cerca de 10 minutos. Mas a festa profana atravessa a noite, com “paredões” e cantores de música sertaneja. Na praça, barraquinhas de alimentos, bebidas e de venda de brinquedos para crianças.

salve o padroeiro!
QUEM FOI SEBASTIÃO?

O homem que viraria santo foi capitão da guarda pretoriana, protetora do imperador romano. Ela se converteu ao cristianismo e ajudava, secretamente, aos fiéis perseguidos. Por isso, Sebastião, que em grego significa divino, foi amarrado a um poste e flechado.

Depois, foi jogado em um rio. Uma mulher chamada Irene, percebeu que  ele estava vivo, resgatou-o e retirou as flechas de seu peito. Ela, também santificada, cuidou do militar até ele se recuperar. Novamente, o capitão voltou a se apresentar ao imperador Diocleciano, que voltou a condená-lo a morte por açoite e a ter seu corpo transpassado por uma lança. Apesar de inconsistências histórias, esse mito foi consagrado pela Igreja Católica.

ORAÇÃO

Existem diversas orações ao São Sebastião: para pedir uma graça, para o amor e para fechar o corpo contra os males. Porém, vamos apresentar  a original.

“Glorioso mártir São Sebastião, soldado de Cristo e exemplo de cristão, hoje vimos pedir a vossa intercessão 
junto ao trono do Senhor Jesus, nosso Salvador, por Quem destes a vida. 

Vós que vivestes a fé e perseverastes até o fim, pedi a Jesus por nós para que sejamos testemunhas do amor de Deus. 

Vós que esperastes com firmeza nas palavras de Jesus, pedi-Lhe por nós, para que aumente a nossa esperança na ressurreição. 

Vós que vivestes a caridade para com os irmãos, pedi a Jesus para que aumente o nosso amor para com todos. 

Enfim, glorioso mártir São Sebastião, protegei-nos contra a peste, a fome e a guerra; defendei as nossas plantações 
e os nossos rebanhos, que são dons de Deus para o nosso bem e para o bem de todos. 

E defendei-nos do pecado, que é o maior de todos os males. 

Assim seja.”

 

Jornalista, 57 anos, traz no sangue a mistura de carioca com português. Em 1998, após trabalhar em alguns dos principais jornais, assessorias e sites do país, foi para o Ceará e descobriu um novo mundo. Há dez anos trabalha na Bahia, mas suas andanças não param. Formou comunicadores populares nas favelas do Rio e treinou jornalistas em Moçambique, na África. Conhece 14 países e quase todos os estados brasileiros. Suas reportagens ganharam prêmios de direitos humanos e de jornalismo investigativo.
follow me

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *