Mês: dezembro 2017

O guardião da memória

Faz tempo que Jeová Pinto de Santana, 74 anos, deixou de participar dos adjutórios em Itatim, cidade baiana que já se chamou Tanquinho. Ele lembra que era comum as pessoas quebrarem licuri nos dias úteis e no final de semana receberem amigos e vizinhos para um “djutório” (ajuda) para descascar o coquinho do licurizeiro, usado para fazer óleo, doces, licores. O trabalho feito com alegria era regado a uma boa refeição e, no final, comemorado com cantigas de rodas e samba. Hoje, é coisa raríssima, praticamente extinta.
…Ler mais.

Maranhão é incluído no semiárido

O semiárido brasileiro tem nova configuração desde 23 de novembro de 2017. A avaliação levou em conta critérios como o percentual diário de déficit hídrico, índices pluviométricos e aridez. O grupo de técnicos ressalvou que faltam estações adequadas para fazer as medições precisas destes índices e, por isso, seria melhor incluir as cidades que sofrem com a seca, mesmo sem a existência precisa de dados. Também dispensou a obrigatoriedade da presença do bioma caatinga para definir os noves limites da região. A medida foi aprovada pelo conselho deliberativo da Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene).

…Ler mais.

Macaxeira, maní

 

A médica e pesquisadora de cultura popular Helenita Monte de Hollanda nos mostra esta semana como é preparada a farinha de mandioca no Nordeste e Norte do Brasil. As cenas gravadas no distrito de Guiné, em Mucugê, na Chapada Diamantina (BA), em 2011, e em São Gabriel da Cachoeira (AM), em 2015.

Na Chapada, a farinhada dura todo o ano e as mulheres têm a missão de plantar, colher e preparar a farinha.

“Agrupadas em mutirão, reunidas embaixo de frondosas árvores, encontramos as mulheres em desassombrado vozerio e risadagens sem fim. Numa alegria que não dá sossego ao trabalho. Dez, vinte e às vezes mais mulheres de todas as idades descascam, ralam, espremem e peneiram a macaxeira e a puba resultante que dará origem à farinha que sustenta o povo do interior como principal fonte de carboidrato” – conta Helenita.

A pesquisadora também nos revela como é o processo das indígenas e conta a lenda de como surgiu a macaxeira.