Sangue ruim

Sangue ruim

Não foi parca a literatura consultada em busca do sentido referido por nossa Dona Zifa, 74 anos, sobre o sangue ruim que alguns viventes trazem e que determina destinação trágica e curiosa, afastando de si as águas do mar, promovendo sangramentos, determinando maus feitos.

O sangue que é vida, conforme o Antigo Testamento já anuncia, pode ser reimoso, sujo, podre, doce… Deste ruim, no entanto, que a boa sertaneja nos apresenta, não tive leituras, senão explicações tais quais a dela de que ”nasce-se assim”.

O efeito sobre si é diverso, mas sobre o outro em muito pouco difere daquele que tem o olho ruim – aquele olhar tão conhecido no Brasil todo por ”olho de seca pimenteira” e que tem origem controversa mas que o olhar atravessado para a mãe pode estar implicado em sua gênese.

O QUE DIZ DONA ZIFA

Nasceu e cresceu numa típica família brasileira. Potiguar, morando na Bahia há vinte anos, é médica de formação e pesquisadora da cultura popular. Nos últimos 10 anos abandonou a sua especialidade em cardiologia e ultrassonografia vascular para atuar como médica da família na Bahia e no Rio Grande do Norte, onde passou a recolher histórias e saberes. Nessa jornada publicou cinco livros.”. No final de 2015 passou temporada no Amazonas recolhendo saberes indígenas.
follow me

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *