Ato penitencial

Ato penitencial

A caminhada penitencial começou às margens do rio do Antônio, que por muito tempo foi a fonte de abastecimento hídrica do município de Malhada de Pedras. Hoje, devido à ação humana, o rio, com a pouca água acumulada em pequenas poças pelos escassos períodos de chuva, é apenas parte de um cenário seco do sertão baiano. É que o escoamento de resíduos industriais e o esgotamento sanitário sem tratamento, ao longo das cidades banhadas pelo rio, tiraram-lhe a vida.

“Vejam o nosso rio como era e comparem com a situação de agora. Nesse rio corria água todos os anos. Que futuro vamos deixar para nossos filhos? É triste ver que nós mesmos estamos destruindo a nossa própria casa”, diz a animadora Núbia Cangussu, referindo-se à imagem do de anos atrás, retratada em um painel.

A cidade, agora, recebe a água para o consumo e outras necessidades da barragem de Cristalândia, que fica no município vizinho de Brumado.

O ato de oração e penitência no curso do que um dia foi um rio cheio de vida lembra a Campanha da Fraternidade deste ano, que tem como tema “Fraternidade: biomas brasileiros e defesa da vida”. O objetivo da Igreja com a campanha é propor o cuidado com a natureza e promover relações mais fraternas com a vida e entre os povos, de acordo com os ensinamentos do Evangelho.

A cruz com o manto roxo vai à frente, guiando a procissão. No percurso com pouca iluminação até a igreja Matriz, orações e cantos mostram a fé de um povo que suplica por diversas necessidades, desde a benção da chuva até a cura de uma enfermidade. São as dores e dificuldades de nosso tempo. A cada parada, a lembrança dos passos de Jesus a caminho do calvário. Na caminhada, são 15 pontos de meditação que recordam as estações da Via Sacra, o trajeto seguido por Jesus ao carregar a cruz para ser crucificado.

BIOMAS AMEAÇADOS

Em cada ponto de meditação, uma prece especial em favor dos biomas brasileiros, ameaçados pelas agressões humanas. A Mata Atlântica, uma das florestas tropicais mais devastadas do mundo, hoje tem apenas 7% de área preservada. A nossa Caatinga tão castigada pela seca e o semiárido onde a encontramos. O Cerrado que sofre a ameaça do agronegócio. O desmatamento na Amazônia, maior riqueza natural do Brasil e maior biodiversidade do mundo. O Pantanal agredido pelo intenso plantio de pastagens e pelas queimadas. Os Pampas com seus grandes latifúndios.

Mais a diante, as orações pela conservação do planeta, nossa “casa comum”, que também sofre com a ausência de saneamento básico, um risco à saúde das pessoas. Já na praça da Matriz, em frente à imagem do Cristo de braços abertos, a contemplação da ressurreição de Jesus e o sentimento de esperança e vitória diante de tantas agressões à vida humana e à criação deixada por Deus.

A caminhada penitencial em Malhada de Pedras começou no dia 3 de março e se repetirá até a Semana Santa. Os encontros acontecem sempre às sextas-feiras, às 19h30, com saída de um local diferente, a cada semana.

 

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *