Dica de longevidade

Dica de longevidade

Jovita Gonçalves da Cruz espera ter a mesma longevidade de seus pais. A mãe viveu até os 99 anos e o pai morreu aos 88. Ela diz que tem saúde de ferro, só toma remédios quando fica resfriada. A única reclamação que faz é das vistas, que ficaram embaçadas para perto.

Segundo a agricultora, o segredo para viver muito e bem está na dieta do sertão, pois as pessoas acabam ficando resistentes como a vegetação da caatinga. Jovita lembra que, quando criança, comia maracujá selvagem verde, cortado miudinho e frito com farinha.

 

Receita da longevidade sertaneja | Meus Sertões
A “baguinha” interna do cabeça de frade faz parte do cardápio sertanejo

O cabeça-de-frade, cacto pequeno e achatado que desenvolve uma espécie de coroa avermelhada no topo, era cozinhado para se tirar a “baguinha” de dentro e comer. Outra planta espinhenta usada pela família de Jovita era o xique-xique, que ela “ama até hoje”.

Feijão temperado com umbu, beiju de mandioca lavrada na pedra, bago do licurizeiro e mucunã, que precisa de 12 águas para tirar o veneno, também faziam parte do cardápio dos “antigos”.

A carne era de caça.

Outra receita dada por Jovita para se viver muito e não ter saudade do tempo que passou.

“Sem isso, quem é que vai viver hoje até os 90, 100 anos?”

LEIA MAIS SOBRE JOVITA

Jornalista, 55 anos, traz no sangue a mistura de carioca com português. Em 1998, após trabalhar em alguns dos principais jornais, assessorias e sites do país, foi para o Ceará e descobriu um novo mundo. Há dez anos trabalha na Bahia, mas suas andanças não param. Formou comunicadores populares nas favelas do Rio e treinou jornalistas em Moçambique, na África. Conhece 14 países e quase todos os estados brasileiros. Suas reportagens ganharam prêmios de direitos humanos e de jornalismo investigativo.
follow me

Deixe um comentário.

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *